sábado, 21 de outubro de 2017

O AR QUE ME FUDEU OS PULMÕES



Foi ali, logo ali,
na santa casa da imaculada alguma coisa,
que sai do aconchego do útero
e escapando as entranhas respirei o ar.

E era um ar desses,
a quarenta e oito e mais anos passados,
provavelmente mais puro,
no entanto não menos nefasto.


Transitivo direto e indireto,
Paulo Roberto Wovst Leite.

domingo, 15 de outubro de 2017

TIRANÓPOLIS



Fétida ilha,
cheirando a excremento
vômito, urina e fezes
onde lixos são ambulantes
e empesteiam o ar.

De norte a sul,
por todos os canais,
por entre e por debaixo
da ponte iluminada decadente
pedem para morrer.

E se não o fazem
por incompetência,
atribuem a outrem sua desgraça,
já que não mergulham de cabeça,
mas atolados seguem na merda.


De brinquedos quebrados,
Paulo Roberto Wovst Leite.

domingo, 13 de agosto de 2017

ACUMULANDO PONTOS




Garantias de que estava no lugar certo,
nenhuma!
Quem dera houvesse outrora,
jamais houve!
É como tocar piano para uma plateia surda,
numa cadeira elétrica.
Talvez uma performance eletrizante,
com um final feliz os salve
da inércia e da mudez,
uma vez que seus olhos podem enxergar.
Quem dera!


Tirania dos sentidos,
Paulo Roberto Wovst Leite.

DESCENTRALIZANDO



Minha cabeça saiu para passear,
projetou-se pelas portas,
por entre as grades,
do jardim suspenso,
protegido.

Caminhou pelas ruas,
ao lado das calçadas
ocupadas
de manhã à noite
urinadas.

Entorpecidos ao sol,
entorpecidos ao luar,
lugar nenhum,
todos os lugares,
marquises.

Corpos projéteis
lançados,
perdidos,
procuram um alvo,
alojar.

Sob um céu
de arranha céus,
tenho aplicativo,
rotas integradas,
sul.


Tirania dos sentidos,
Paulo Roberto Wovst leite.

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Projeto Pão e Poesia 2017 divulga selecionados

A Fundação Cultural de Blumenau e a Editora Cultura em Movimento divulgam a lista dos poemas classificados na edição do concurso Pão e Poesia 2017. Devido a grande quantidade de poemas recebidos, o conselho da editora decidiu aumentar o número de selecionados de 30 para 73. Os trabalhos serão publicados entre novembro de 2016 a 2017 em pacotes de pão que serão distribuídos nas padarias catarinenses. Os autores receberão exemplares de seus poemas logo que os cartuchos forem impressos. LER MAIS...

Os selecionados

Confira quem foi selecionado, as cidades e os títulos das poesias

Adriana Cristina Razia - Quatro Barras (PR) - Desjejum com poesia
Adriana Eli Negrini - Sorocaba (SP) - Vitória, O perdão e a punição
Adriana Gusmão Antunes - São Mateus (ES) – Pãoesia
Alana Regina Sousa de Menezes - Três Lagoas (MS) – Sintonia
Alberto Arecchi - Pavia (Itália) - Noite de primavera
Alcione Alvim da Silva - Blumenau  (SC) - A vida boa
André Soares - Vila Velha (ES) - Ávido, primavera
André Telucazu Kondo - Jundiaí (SP) - Quando as manhãs trasnbordam
Andressa Barrichello - Curitiba (PR) - Vida e morte no Castro
Andressa Wille – Curitiba (PR) – Nevoeiro
Ângelo N. G. de Campos – Blumenau (SC) - A margarina do pão, de má sorte
Anna Luisa de Mello Sampaio Braga – Teresópolis (RJ) - De um cara sincero
Aparecida Gianello dos Santos – Martinopolis (SP) - (Des)considerações sobre o tempo, caso complicado
Augusto Barros Mendes – Niterói (RJ) – Amorragia
Camila Benedita de Matos Ferreira – Arandu (SP) - Culpa ou gratidão
Carlos Carvalho Cavalheiro – Sorocaba (SP) - Tempo, olhos
Cássio José Rodrigues Pereira - Campo Grande (MS) - Antologia, a régua
Cristiane Dias – Criciúma (SC) - Engraçadinho, o Rio
Daniela Augusta Silva – Limeira (SP) – Afetos
Dora Oliveira  - Ipatinga (MG) – Alicia
Edison Amaro de Souza - São Gonçalo (RJ) - Irmã Dulce, a Cristiano Dez da Dinamarca
Erica Azevedo Santos - Santo Estevão (BA) – Enigma
Felipe Thiago Cordeiro da Rocha - Boa Vista (RO) - Fazer poético
Fior constante Ferrari – Itapetininga (SP) – Mão
Francisco Genilson dos Santos Silva - Juazeiro do Norte (CE) - Ser... Humano
Gabriela Vasco da Silva – Florianópolis (SC) – Solitude
Geraldo Trombim – Americana (SP) - Pedra sobre pedra      
Iogo Silva Chirola - Brasília  (DF) – Respostas
Irede Inês Masieiro Farenzena – Veranopolis (RS ) - Em pedaços
Isabel Florinda Furini – Curitiba (PR) - Um desjejum diferente
Ismar Babosa - Rio de Janeiro (RJ) - A velha
Itamar Rabelo de Souza – Ourinhos (SP) - Entre silêncios
Jefersom Cadamuro Nunes - Maringá       (PR) - Comi tudo...
João Carlos Rey – Curitiba (PR) - Romeu e Julieta
João Renato Marino - São Paulo (SP) – Viagens
Joaquim Alfreto Guimarães Garcia (Alfredo Garcia-Bragança) – Ananindeua (PA) – Ruínas
Jorge Alberto Silva Miranda Junior (Alberto da Costa) – Salvador (BA) - O inteligente vagabundo
Josué Cruz – Blumenau (SC) – Escrita
Juliana Galvão Borel  - Rio de Janeiro (RJ) – Desnudos
Nadia Virginia Barbosa Carneiro – Salvador (BA) - Poema para comer
Neida da Costa Rocha - Pomerode (SC) – Biblioteca
Newton de Souza Nazareth - Rio de Janeiro (RJ) - Página virada
Nilton Silveira - Porto Alegre (RS) – Travessia
Paulo Cezar Tórtora - Rio de Janeiro (RJ)  - Viagem
Paulo Roberto Wovst Leite – Blumenau (SC) – Paladar
Ricardo Mainieri - Porto Alegre (RS) - Labirinto-me
Ricardo Monocovo Tonet - Amparo (SP) - Enquanto você quiser
Rita de Cássia Ribeiro de Queiroz - Salvador (BA) - Alimento da vida
Rodolfo Elias Minari - Rio Branco (AC) – Sonho
Sara Regina Albuquerque França - Maceió (AL) - Ponto de vista
Sarah Matos Magalhães – Brasília (DF) - Sorriso bom
Siberita Pinheiro - Maringá (PR) - Poesia pro seu dia de lida
Simone Estael Francesconi Martinelli - São Paulo (SP) - Encante os pássaros, de essência perolada
Tainá Canônico Atibaia – Londrina (PR) - Hoje acordei mudado
Tarsila de Carvalho Fonseca - Rio de Janeiro (RJ) - Alimento antigo
Tatiana Alvez - Rio de Janeiro (RJ) – Temperança
Thiago Franklin de Souza Costa – Jacarepaguá (RJ) - A formiga
Tiago D. Oliveira – Salvador (BA) - Segundo passeio de bicicleta
Valeria Sales Miguel da Silva - Garanhuns (PE) - Soneto do existir
Victor Hugo V. Alcântara (Flay Wolf) – Guarulhos (SP) - Por todos
Vinicius Paulo Valência - Getulio Vargas (RS) - Só... O pão, a faca...
Wagner - Água Doce (SC) -           Enquanto existirem versos
Wesley Moreira de Almeida - Feira de Santana (BA) - Das bem-aventuranças
Yana Priscila Pimentel de Lima – Maceió (AL) - O meu amor



PALADAR


Abro os olhos e estou vivo,
vou para a minha janela,
o cenário lá fora avisto.
Passam pelos meus olhos cenas,
nenhum espetáculo,
a não ser sobrevivência.
O gosto em minha boca é de enlatado,
estabilizante, anti oxidante, acidulante, conservador
e aroma artificial de alguma coisa natural,
ao que insistentemente acrescento 
uma pitada de amor.

PAULO ROBERTO WOVST LEITE