quarta-feira, 25 de março de 2009

OS GRITOS DE ALERTA CONTINUAM, QUEM SE IMPORTA?

De quando observava o mundo
aos sete anos ou agora,
o buraco na camada de ozônio aumentou,
animais em extinção, extinguiram-se
e o mundo não é melhor para minhas filhas
como sonhei um dia.
DESLIGAR A LUZ POR UMA HORA,
KKK
Façam-me rir
marqueteiros da imagem própria,
vão ranger os dentes.


PAULO ROBERTO WOVST LEITE
Desengajado e neutro

ELO

Atravessar o círculo polar Ártico,
além do horizonte,
da aurora boreal.
Avançar terra adentro,
para tentar encontrar
a identidade perdida.


PAULO ROBERTO WOVST LEITE
Desengajado e neutro

terça-feira, 24 de março de 2009

ROUPAS
ASFALTO
CONCRETO
ZINCO
AMIANTO
LAJOTA
SAPATO
RELÓGIO
CARTEIRA

TRABALHO NA REPARTIÇÃO
NA LOJA
NO BALCÃO


PAULO ROBERTO WOVST LEITE
Linha 300

“OLHARES”

Uma mulher grávida,
de olhar triste
segue sua rotina
de ir ao trabalho.
Não sei de onde vem,
já está no ônibus
linha 300,
quando embarco
e a vejo mais um dia,
mais uma vez entediada.

Sei que esse algo novo
que ela traz dentro de si,
lhe faz a cada dia mais bela,
apesar de sua espera.
Não vou questioná-la,
muito menos alertá-la,
mas que essa vida em seu ventre
a renove, isso lhe desejo em silêncio,
aqui do banco ao lado
na condução que nos leva ao trabalho.


PAULO ROBERTO WOVST LEITE
Linha 300

Hoje despertei ao som...

Em minha bicicleta
ganhando a rua Bahia
vejo restos do início do século XX
um lindo chalé de1919
um pasto com bois e vacas
bem próximo a charmosa
igreja Luterana
e seu sino abençoado

E por entre densas nuvens
nascente, imponente, a raiar
banhando com sua luz,
o sol ilumina meu caminho
onde posso contemplar Deus
nas coisas simples
e no meu interior acendendo
a chama da vida.



PAULO ROBERTO WOVST LEITE
Linha 300

...Hoje amanheceu um dia lindo!

Diálogo entre dois passantes:
_ Esfriou né?
_ Não choveu!
_ mas lá pra cima destruiu tudo!
_ choveu muito?
_ Foi vento!

Pausa e reinicio:

_Mas vai esquentar!
_ Vai dar trovoada!
_ Pois é, pois é, pois é...
_ Tenho medo.

“Esfriar é lindo.” 


PAULO ROBERTO WOVST LEITE
 Linha 300

PASSAGEIRO

Do ponto em que estou
tudo passa rápido
passageiro voraz
observo e colho na retina

Belas fachadas
velhas fachadas
horrendas fachadas

muito mau gosto
muito bom gosto

Charmosas fachadas
históricas fachadas
novas fachadas

muita coisa inacabada
muita coisa recomeçada
muita coisa esquecida

Vai ficando para trás
de tudo um pouco
rua, gente, construção,
etc e tal...

Talvez um dia tudo acabe
como a viajem se finda
quando chega a hora de saltar
no próximo ponto.




PAULO ROBERTO WOVST LEITE
Linha 300

¡BUEN DIA!

As digníssimas senhoras do banco
na parada de ônibus.
Sentadas com seus cortes de cabelo,
bolsa e alguns utensílios.

Buen dia simpática e estranha
com seu sorriso fácil,
emoldurando o rosto de beleza única,
unicamente dada as gordinhas.

Dona de formas arredondadas
e de um sapato verde
que prendeu minha atenção.

Porque ficou belo,
ficou bem,
combinou.



PAULO ROBERTO WOVST LEITE
Linha 300
Vidas e mais vidas seguem seu curso, margeando o Itajaí-açú, através da estrada velha, que já foi linha férrea e constroem histórias de suor e sangue entrecortando morros, criando adjacentes.

Um transeunte ao passar apressado não pode ver.

O Século XXI flertando com o XIX em suas casas tombadas pelo patrimônio histórico, nos pastos e seus animais, enquanto um carro importado risca o espaço, em frente a loja de informática.

A fé nas placas de suas igrejas e nos corações de seus fiéis, a vida boêmia nos bares e prostíbulos.


E a cidade logo ali, vizinha, é alvo e também é seta.
Aponta para o futuro, conservando sua beleza enxaimel.



PAULO ROBERTO WOVST LEITE
 Linha 300

NOME AOS BOIS

Carga viva, espremida, economicamente ativa, uns entreolham-se,
outros abaixam a cabeça, manhã fria, janelas fechadas.
Na contra mão da história uma carroça passa.
Emparelhados, um marrom e um malhado.
No ritmo do dia os ponteiros se apressam.
embarque-desembarque, embarque-desembarque, embarque-desembarque...



PAULOROBERTO WOVST LEITE
Linha 300

sábado, 7 de março de 2009

PÓ NA ESTRADA

Pago aumento para comer a poeira
sorrio ou me entristeço,
mas enfim sou transeunte desta via.
Deste caminho que se cruza,
deste olhar que se perde,
e busca o teu
em meio as janelas entreabertas
em meio ao calor de um pouco
de insatisfação.


PAULO ROBERTO WOVST LEITE
Linha 300

terça-feira, 3 de março de 2009

SEMPRE QUE INICIAMOS UM NOVO DIA



Vou compor uma nova canção
Que vai falar de amor
Vou comprar um violão
Que vai ser meu companheiro
Quero fazer um refrão
Vem comigo ver o nascer do sol
Fazendo uma caminhada na praia
Vem comigo ver o pôr do sol
Fazendo uma cavalgada numa colina
Vou falar de gente que ama
Que chora e se emociona
Que gosta de luar e estrelas
E que não deseja pro seu próximo
O que não quer pra si

PAULO ROBERTO WOVST LEITE
 Transitivo direto e indireto