segunda-feira, 30 de novembro de 2009

PÃO E POESIA - FAZENDO HISTÓRIA À 12 ANOS

Poesia acompanha
café da manhã
Programa incorpora literatura ao cotidiano dos blumenauenses
Marli Rudnik

Blumenau - A poesia passou a fazer parte do café da manhã de muitos blumenauenses, desde que a Fundação Cultural de Blumenau implantou, em dezembro, o programa "Pão e Poesia". O pão quentinho vem embalado nos mesmos saquinhos pardos, que agora apresentam poemas de autores brasileiros e ibéricos, como o português Fernando Pessoa e o espanhol Federico Garcia Lorca. Mais de 20 panificadoras já aderiram ao programa, e a meta é atingir a totalidade dos estabelecimentos (cerca de 250) este ano.
A Fundação Cultural está cadastrando os poetas interessados em participar da 2º tiragem do "Pão e Poesia". Prevendo a grande demanda, o presidente da FCB, Bráulio Maria Schloegel anuncia a criação de um Conselho Editorial, com cinco escritores blumenauenses, que vão fazer a programação visual das embalagens. Hoje são os próprios donos das padarias que escolhem os textos, impressos na gráfica da FCB, com recursos do Fundo Nacional de Cultura (os empresários só fornecem os pacotes). "As padarias têm o pão, nós temos a poesia", justifica Schloegel. Cada poema é impresso no máximo em 500 sacos. Mais de 100 mil embalagens já estão circulando nas padarias dos bairros.



MULTIPLICAÇÃO
DOS PÃES

Quem sugeriu o uso de poemas em embalagens foi o poeta Lindolf Bell, que já colocou versos em camisetas, cartões postais, adesivos, garrafas e outros espaços inusitados. "Ele viu a idéia numa feira em Curitiba, só que em embalagens de presente. Nós adaptamos para as padarias", explica o presidente da FCB. O programa "Pão e Poesia" faz parte de outro projeto maior, o "Arte nos Bairros", iniciado em 1993 pela ex-presidente da Fundação, escultora Elke Hering (1940-1994), e representa uma alternativa para os poetas interessados em divulgar seu trabalho. Bráulio não descarta a possibilidade de publicar uma antologia dos poetas participantes, no final do ano.
Mais do que revelar talentos (muitos autores iniciantes estão mandando seus trabalhos para a Fundação), o programa está dando certo porque leva a poesia a lares onde não existem livros de poemas, e a pessoas não familiarizadas com os versos. "Muitos nunca leram um poema antes e estão descobrindo este prazer", diz Bráulio. O presidente do Núcleo dos Panificadores da Associação Comercial e Industrial de Blumenau, Sérgio Lange, proprietário da Panificadora e Confeitaria Aroma, afirma que os clientes não escondem a satisfação, quando descobrem os poemas nos pacotes de pão. "Alguns chegam a colecionar as embalagens, dizendo que não podem comprar livros".
O caráter educativo do programa fica por conta dos temas selecionados para impressão. Nos primeiros meses, o poeta blumenauense Geraldo Luz, falecido em janeiro de 1997, foi homenageado. Neste ano será destacado o trabalho do tubaronense Martinho Brüning, que faleceu no dia 05 de janeiro último. Concursos de poemas da rede municipal de ensino e as homenagens ao centenário de morte de Cruz e Sousa também serão lembrados nos pacotes de pão. "A poesia vai passar a fazer parte do dia-a-dia das pessoas, assim como o pão", garante o presidente da Fundação.
As artes plásticas de Blumenau também estão entrando nas casas dos blumenauenses, através dos calendários de 1998, confeccionados em serigrafia e ilustrados com obras de César Otacílio e Homero Moser. A Fundação Cultural confeccionou 150 calendários numerados e assinados a mão pelos artistas, selecionador por meio de concurso. "Quando o ano terminar, as pessoas podem recortar as ilustrações, emoldurar, e ter as reproduções das obras originais dos artistas", explica Schloegel.
FONTE: 
http://www1.an.com.br/1998/jan/24/0ane.htm

domingo, 29 de novembro de 2009

Pão & Poesia

Pão & Poesia é ampliado

O projeto Pão & Poesia da Fundação Cultural de Blumenau está sendo ampliado para todo o Estado, com um maior número de sacos de pão impressos. Em setembro foram distribuídos 30 mil poemas em Blumenau, Gaspar, Timbó, Pomerode e Indaial. Já em outubro o Pão & Poesia passou para uma tiragem de 120 mil poemas/mês, graças a uma parceria com a Incorpel, de Palhoça. Isso possibilitou levar o projeto também para as cidades de Criciúma, Orleans, Rio do Sul, Lages e Florianópolis. Para o próximo ano a Fundação Cultural pretende expandir o Pão & Poesia para outras cidades.

Poetas de Blumenau que quiserem participar podem enviar seus poemas para a Fundação Cultural. A meta é divulgar suas obras, provocar o hábito da leitura e o gosto pela poesia, principalmente às pessoas não familiarizadas com os versos e impossibilitadas de adquirir livros de poemas. Uma comissão vai selecionar os textos. Os interessados podem encaminhar suas poesias (com a devida autorização de publicação) para a Fundação Cultural de Blumenau – Centro de Publicação, Documentação e Referência em Leitura: Alameda Duque de Caxias, 64 ou para o e-mail editora@fcblu.com.br

Autores participantes

Ricardo Brandes Poema chuvoso
Ilka Bosse Tenho medo
Ivo Hadlich Tango
Fátima Venutti Canção de ninar
Neida Rocha O vaga-lume
Rosane Magaly Martins Êxtase
Tchello d´Barros S/ Titulo
Joni Kormann O meu destino
Paulo Roberto Wovst Leite Pó na estrada
Felipe Gruetzmacher Eis a questão: ser ou ter?
Maria de Fátima Baumgärtner O amor
Raquel Gastaldi Eu feliz
Cláudia Iara Vetter Nenhuma palavra
Fonte: Raquel Furtado, agente cultural FCB (3326 7511 e 9903 5403)
Jornalista: Marilí Martendal – MTb/SC 00694 JP. 3326 8124 e 9943 0235.



Pago aumento para comer a poeira
sorrio ou me entristeço,
mas enfim sou transeunte desta via.
Deste caminho que se cruza,
deste olhar que se perde,
e busca o teu
em meio as janelas entreabertas
em meio ao calor de um pouco
de insatisfação.

Paulo Roberto Wovst Leite

segunda-feira, 23 de novembro de 2009