sábado, 25 de agosto de 2012

Ouvi Notícias

Tudo tinha tom de blues quando abri os olhos
e eram céus e terras e ventos do mar.
Olhei, olhei de novo, fechei os olhos, havia um lá,lá,lá...
nem romântico, nem sonhador,
apenas um tom de blues pairando sobre tudo. 
Triste tom de saudade.


 De emoções guardadas,
 Paulo Roberto Wovst leite.

sábado, 14 de julho de 2012

LUMINOSO


LUMINOSO

Desarmado, desalmado

Caminhando aos prantos no parque

Pequeno pobre garoto pressionado

Ser aceito

Teve um sonho

Garoto belo do interior

Beleza germânica herdada

O que lhe era orgulho

Agora desgraça

Manhã gelada

Ainda há manhãs de orvalho

Homenagens,
Paulo Roberto Wovst Leite.

domingo, 22 de abril de 2012

Três coisas que não existem e que fazemos uso em nossa linguagem:
Se, talvez e nunca.

De ilusões baratas,
Paulo Roberto Wovst Leite.

quarta-feira, 18 de abril de 2012

O ALVO E O EGO

Esconder pra resolver,
pra proteger,
pra em meio a tudo perceber,
que emudecer,
é defender
e que nas muitas palavras falta proceder.

De brinquedos quebrados,
Paulo Roberto Wovst leite.

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Sair do aquário de certezas habitado, voltar ao oceano da existência.

Pecados,
Paulo Roberto Wovst Leite.

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Quando se tem uma lembrança, que tal como mancha no cérebro, além das exigências, não pode ser arrancada.

Pecados,
Paulo Roberto Wovst leite

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Fazer ruído ao ser invadido por sentimentos , do tipo rir ou chorar, ou ir mais fundo, projetar-se.

Pecados,
Paulo Roberto Wovst Leite.

terça-feira, 3 de abril de 2012

É quando falar, descrever o fato na sua compreensão, no estado das suas coisas, do ponto de vista onde está.


Pecados,
Paulo Roberto Wovst Leite.

sábado, 10 de março de 2012

FEITA, DESFEITA.


Ele escreveu seus nomes numa árvore
para sempre,
mas a árvore foi cortada por um lenhador
num dia útil.
Virou armário para repartição pública.

Ele escreveu seus nomes numa caverna, 
mas especulação imobiliária
para aumentar o turismo
aterrou a caverna.
Lindo condomínio de frente pro oceano.

Fez um ritual que a cigana lhe ensinou
Mas não sem antes lhe perguntar,
"Por que insistes neste amor"?
Respondeu:
"Porque pra mim é pra vida inteira".

PRÉ SUPOSTO,
PAULO ROBERTO WOVST LEITE.

sábado, 3 de março de 2012

AOS ARREDORES


Grito, grito,
alto, alto,
conto até quatro
e avante,
na platéia,
no palco,
enceno
e faço parte da vida,
desempenho papéis,
muitas vezes não os quero.

Você está muito irritado,
diz um.
Você é perfeito,
parece-se comigo,
diz outro.
Estou triste
e acuado,
digo a mim mesmo.

Cavalo doido desembestado,
mordendo,
dando coices,
o rei quer domar
está natureza selvagem,
o rei quer ser senhor desta vida,
quer pintar-lhe um quadro bem comportado,
para expor aos seus súditos

O rei quer adoração,
não quer ficar aborrecido
e se preciso for,
salva ou perde pra sempre,
tem um estrado abaixo dos seus pés,
tem uma abóbada acima da cabeça.
Sim dele é sim, não dele é não,
pra ele é sempre talvez...
 
Passou na tv que um cara
explodiu e levou com ele
um mêtro numa estação do centro
de uma cidade grande,
muita gente aliviada mudou de canal,
parece bom,
parece mau,
é apenas desequilibro.

O rei quer oração pra prolongar seu reinado,
quer impostos pra encher seus celeiros,
quer virgens para aquecer seu corpo,
quer passear de carruagem,
quer ser saldado,
quer ouvir vivas e salves,
tem sempre um menino ao seu lado,
para sorver-lhe a jovialidade.

Tem um rio que corta a cidade
que dá carpa de doze quilos
de pura merda,
um cara me ofereceu um pedaço
e ficou estupefato pela negativa,
disse que o fogo mata tudo,
ocorreu-me que talvez o cara que explodiu no mêtro
pensasse como ele.

O rei não gosta de ser contrariado,
tem o segredo nas mãos
e uma missão,
súditos e mais súditos.
Grita, lobo!
E o soldados fuzilam imediatamente,
o primeiro tiro no meio dos olhos
e o de aviso pro alto.

Tenho que ficar longe,
preciso ir embora,
voar, voar, voar, voar, voar, voar, voar...
Alto, alto,
grito, grito.


TIRANIA DOS SENTIDOS,
PAULO ROBERTO WOVST LEITE.

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Luto

MANOEL ROOS

sábado, 25 de fevereiro de 2012

À VOCÊ QUE ME OLHA

O QUE ESCORRE PELOS MEUS OLHOS
LÁGRIMAS DO QUE VIRÁ
OU A INCERTEZA DO MOMENTO
O QUE ESCORRE PELA MINHA GARGANTA APERTADA
GOLES DE VINHO BRANCO
LEIO UM POEMA DE BORGES E CHORO.

(PARA MANOEL ROOS)

DE EMOÇÕES GUARDADAS,
PAULO ROBERTO WOVST LEITE.

domingo, 19 de fevereiro de 2012

Angústia

Significado de Angústia

s.f. Ansiedade física acompanhada de opressão dolorosa: os estremecimentos da angústia. / Inquietude profunda que oprime o coração: uma angústia mortal. / Filosofia. Experiência metafísica, para os filósofos existencialistas, através da qual o homem toma consciência do ser. (Sin.: agonia, ansiedade, apreensão, aperto.)

Estou sentindo,
pela situação de meu amigo Manoel Roos
e como não consigo traduzir em palavras...
busquei no dicionário.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

SPARRING

PRIMEIRO VÁRIOS JABS ALCANÇARAM SEU OBJETIVO E ME AFASTARAM PRA LONGE, NÃO SEI QUANTOS ROUNDS JÁ FORAM TRAVADOS, MAS QUASE SENTI O CHEIRO DA LONA, PARABÉNS PAPAI PELA COVARDIA, EU NÃO SABIA QUE ERA UMA LUTA.
MEU CARO “F” AMIGO SEU CRUZADO FOI POTENTE E ME NOCAUTEOU, AINDA ESTOU TONTO, QUEM MANDOU EU BAIXAR A GUARDA...
MINHA AMADA E IDOLATRADA, SALVE, SALVE, FOI UM BELO UPPERCUT, MAS ATINGISTE O ESCROTO E ISSO NÃO É LEGAL, NÃO DIGO QUE SEJA AMORAL, AINDA QUE HAJA QUEM DIGA QUE O SER HUMANO É AMORAL. COMO NÃO ROTULO NEM UMA ESPÉCIE DE BICHO E NÃO ME JULGO PARA NÃO SER JULGADO, O QUE SE FAZ COM MESMO PESO E MESMA MEDIDA, RESIGNO-ME A NÃO TER ACHADO BACANA APENAS.

TRANSITIVO DIRETO E INDIRETO,
PAULO ROBERTO WOVST LEITE.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

LUCCA
























HOMENAGENS,
PAULO ROBERTO WOVST LEITE.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

à mercê

à mercê

OLHO PELA FRESTA DA PORTA
A RUA ME ACHA
HÁ UM PORTAL SE ABRINDO
EU SINTO COMO SE FOSSE EXPLODIR
SINTO FALTA DE CHEIRO DE COISAS
DE GENTE QUE AMO

PARECE QUE O PROBLEMA
NÃO É TER ESCOLHAS
TIRÂNICO É TÊ-LAS
E O GOSTO DA LIBERDADE FICA AMARGO
LIVRE ARBÍTRIO?

O QUE QUER QUE EU FAÇA?
NÃO, NÃO, NÃO!
NÃO DIZ RESPEITO
SE O QUE QUER QUE EU FAÇA É (MEU) DIREITO


TIRANIA DOS SENTIDOS,
PAULO ROBERTO WOVST LEITE.