terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Infinitesimalmente

“... leio/ releio/ leio-te/ releito-te/ leio-me/ releio-me...”


Movendo a pedra, 
Paulo Roberto Wovst Leite.

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Não é isso, então o que é?

Dizem que amor não tem a ver com paixão
Então um começa sem o outro?
Há quem diga que evolui de um pra outro,
pra outros começa tudo misturado,
como em sintonia.

Você diz que é saudade.
Se for saudade, é amor ou paixão,
ou sintonia?
Ou não tem nada a ver.

E se for um sentido,
mandando um recado.
Subscrevo, mui atenciosamente.
Tesão.


Pré suposto,
Paulo Roberto Wovst leite.

domingo, 22 de dezembro de 2013

Pois então;

Estava num sonho, sorrindo
e da minha boca um arco íris se projetava.
Numa barraforte um duende passeava pelas cores,
carregando consigo um pote de moedas de ouro.

De vez em quando ele deixava cair uma moeda
e sempre que alguém corria para apanhar
e sempre havia alguém, era absorvido
num instante pelo arco íris.

Gente de todo tipo,
criança, adulto, idoso.
homem e mulher,
de toda raça e credo.

Num dado momento
já não era mais um arco íris,
mas MBoi- Tatá
E acordei, sorrindo.


Tirania dos Sentidos,
Paulo Roberto Wovst Leite.

sábado, 14 de dezembro de 2013

DEVANEIO

 BATENDO NA PORTA DO CÉU


ESSE CANTO FEITO DE ENCANTOS

SOM DE MAR
NOITE DE LUAR
BRISA DA MANHÃ
BANHO DE CACHOEIRA
DE FRUTA DA MACIEIRA

ESSE PECADO FEITO DE ENCANTOS

DENTES CRAVADOS NA PELE
OLHARES PERDIDOS SE ENCONTRANDO
CHEIRO DE FLORES
SUSSURROS DE AMORES
DE SIM E DE NÃO, MAS SEM TALVEZ

ESSE POEMA FEITO DE ENCANTOS

COM NERUDA PRESENTE
VINHO PARA BRINDAR
CACAU, PALMITO, CASTANHAS
LUZ DE VELAS
CORAÇÃO NA JANELA

DE EMOÇÕES GUARDADAS,
PAULO ROBERTO WOVST LEITE

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Spectrum

Enquanto o cérebro segue fazendo relações para interpretar o que vejo,
antevejo você.

Dou-lhe um beijo,
giro no espaço...

A luz branca é só engano,
multicores!

A cor preta é só engano,
multicores!

Transitivo direto e indireto,
Paulo Roberto Wovst Leite.

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Stand-by

Na verdade estou sempre ligado
Como que ausente
Sou um homem
Nas sombras
Em modo de espera 

Às vezes quero fazer ao contrário
E tenho opções
Mas prefiro estar suspenso
Nas sombras
Em modo de espera

A espera de um comando
Para colocar-se em movimento
Subir ao céu
Sair das sombras

Pareço estar desligado
Mas estou apenas
Esperando um toque
Em modo de espera

Pré suposto,
Paulo Roberto Wovst Leite.  

sábado, 5 de outubro de 2013

um: não rola, mais um: não rola, mais um: não rola, mais um: não rola, mais um: não rola, mais um: não rola, mais um: não rola, mais um: não rola, mais um: não rola, em uníssono: NÃO ROLA.

De ilusões baratas,
Paulo Roberto Wovst Leite.

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

CORREDOR DE RUA


Seus pés quase não tocavam o asfalto,
gotas de suor o tocavam,
seus pensamentos tocavam as nuvens,
o vento tocava seu rosto.

Não usava monitor cardíaco,
nem vestimentas adequadas,
muito menos, calçados apropriados
ou óculos de sol.

Sua tranquilidade, prazer, conforto e bem estar,
vinham apenas do ato,
contato,
dele com ele mesmo.

De emoções guardadas,
Paulo Roberto Wovst Leite.

domingo, 8 de setembro de 2013

IPÊ: Sutil elegância.

Você é especial! Sua beleza está tanto na tua vasta vestimenta de folhas e se esconde na tua força pela sobrevivência quando se desnuda para preservar-se no inverno rigoroso, o que os olhos veem como teu sofrimento nada mais é do que estratégia pela vida, escolha pela vida, ainda que não agrade a muitos...
  
Homenagens,
Paulo Roberto Wovst Leite

domingo, 1 de setembro de 2013

Milonga

Delegaste-me um canto...
                                        Contorci-me, me ajeitei...
                                                                                Me espremi no canto...
Meu canto saiu fora do tom...
                                             O violão em D e o vocal em A...
                                                                                                Entre a parede e a porta.


De brinquedos quebrados,
Paulo Roberto Wovst Leite.

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

PÃO E POESIA NAS PADARIAS CATARINENSES

blumenews - pao e poesia logo



Novos poemas do projeto Pão e Poesia da Editora Cultura em Movimento da Fundação Cultural de Blumenau já estão circulando em padarias de diversas cidades catarinenses.

São milhares de cartuchos de pão com poemas impressos e distribuídos gratuitamente. 

Escritores participantes

Sônia de Souza
Diva Martinelli
Everton César Gonçalves
Lina Rezende
Miriam Virgil
Felipe Emílio Gruetzmacher
Cecília Floriani Deschamps
Anita de Olveira
Joanes Barbosa
Hugo Quintana
Tânia Rodrigues
Tati Rosenbrock
Neida Rocha
Luiz Eduardo Caminha
Ricardo Brandes
Rosane Maçaneiro
Paulo Roberto Wovst Leite
Marlene Hüskes
Nane Pereira
Luciane Mari Deschmaps
Roy Kellermann
Ana Peres Batista


286

Dizem dos dias e dos anos
muitas coisas,
porém nenhuma me responde
nada,
porque os dias e os anos
tem que ser vividos tão somente
e aos espertos de plantão
meu sorriso.

Paulo Roberto Wovst Leite

Pão & Poesia - 15 anos


sábado, 3 de agosto de 2013

O que salta aos olhos.

O que brilha como o que vai ser para nunca mais,
como quando finalmente, obsoleto,
o robot  esquecido num cemitério,
ferro velho;
apagado;
inclinar a cabeça.


domingo, 7 de abril de 2013

INCONTIDO

O som do sino
da igreja na janela poente
soa estridente,
resistente ao tempo
e abaixo assinados,

quero-queros,
aracuãs,
gritam;
cavalo corcoveia
no pasto.

Ali do lado
um vizinho tem uma gaiola imensa,
três vezes maior que uma habitual,
será que quer dar liberdade
ao seu pássaro?

Engana-se o tolo que aconselha,
o cavalo não está doido,
reage apenas ao som estridente,
que o dá um sentido pra viver,
além de pastar e defecar.

Tirania dos Sentidos,
Paulo Roberto Wovst Leite.

sábado, 30 de março de 2013

ABRA OS OLHOS


Jack tinha um carro,
uma vontade forte,
uma paixão por voar
e quando estava ao volante
ninguém podia lhe parar.

Todo dia quando saía de casa
e sua casa não era seu lar,
olhava pra garagem
balançava a chave
e vrummmmmmmmmmmmmm...

Um dia uma garota conquistou seu coração
e disse:
Jack eu te amo demais
e quero viver com você para sempre,
mas você precisa repensar sua relação com seu carro.

E disse jack:
Garota você não sabe o que é amor,
me dê um beijo e pule fora,
preciso ir agora
e vrummmmmmmmmmmmmm...


Pré suposto,
Paulo Roberto Wovst leite.

quarta-feira, 6 de março de 2013

Exceder-se ao natural, em forma e conteúdo...

Pecados,
Paulo Roberto Wovst Leite.