sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Corri escrever um poema


Ainda que não viva em função das horas,
precisava deixar marcada esta data,
não que deseje perpetuar-me,
tão somente o fiz,
como quem desenha um coração no tronco de uma árvore,
antes que findasse as vinte e quatro horas desse dia.

De emoções guardadas,
Paulo Roberto Wovst Leite.

segunda-feira, 17 de agosto de 2015



Tentei escrever algo que em suas linhas possuíssem algum tipo de magia e que ao simples ler, ouvir, ver ou passar os dedos, arrancassem a mais profunda dor, sofrimento, até vírus e bactérias não resistiriam.

Que pretensão a minha, mas oh, como queria.

De emoções guardadas,
Paulo Roberto Wovst Leite

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Na porta da geladeira



Blumenau, 13 de agosto de 2015.

eu quis fazer um poema
saiu assim apressadinho
com essa carinha de bilhete
e o que ficou registrado
pra posteridade
apenas e tão somente
é que
te amo...

de emoções guardadas,
Paulo Roberto Wovst Leite.

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Não boicotar-se,  desejar, realizar-se.


Pecados,
Paulo Roberto Wovst leite

sábado, 8 de agosto de 2015

Cabeça de vento

Não durmo e não acordo,
sonho o tempo todo
e cada flor que vejo no caminho,
quero pegar para você,
vivo de brisa,
de lua,
de sol,
de chuva,
de terra,
suor,
saliva,
beijo na boca.

Movendo a Pedra,
Paulo Roberto Wovst Leite.